quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Futuro Eco-Hotel Hotel em Constancia

Apresentação de Villa Tejo Nature & Spa Hotel, no Centro Nautico de Constância, no dia 13 de Outubro de 2015

Visitante de Constância como vendedor, depois residente em Constância como sócio da exploração de um espaço de restauração e de um quiosque, e mais tarde como proprietário da Pastelaria Bélisa, anagrama de Isabel por quem Camões se teria apaixonado, que viria a adquirir as quotas da Sociedade Vila Poema Lda no último trimestre de 2011, uma pergunta se impõe colocar:
QUEM É JOAO ROSA? É um empreendedor que desde muito cedo teve negócios, deixando em cada um deles uma marca pessoal.
OT: Tendo estado ligado a negócios de restauração, de animação nocturna, como aparece à frente de uma pequena unidade hoteleira?
JR: Já em miúdo, quando passavas férias com meus avós no Alentejo, onde eles tinham uma mercearia, eu gostava de estar ao balcão, atender os clientes. Depois, mais tarde em restaurantes que explorei. A Hotelaria está no meu ADN.
OT: Vamos agora passar ao projecto que hoje apresenta publicamente, abaixo identificado:
Villa Tejo Nature & Spa Hotel
Localização: Nó de acesso à A23 em Constância
Área do Terreno: 25.514 m2
Área de Construção: 4035m2
Área de estacionamentos e arruamentos: 2560 m2
Volumetria: 18.157m3
Categoria: 4 estrelas
Valor do Investimento total: 3 milhões de Euros com uma parte eventualmente de 75% a financiar por Portugal 2020, e o restante 25% por capitais próprios obtidos por créditos bancários.
Pay-Back: 8 anos Taxa média de ocupação calculada: 45% Taxa Interna de Rentabilidade: 9,7%
Características: Três corpos que se interligam em forma de “V”, projectando de qualquer deles vistas para a envolvente natural da qual o Rio Tejo é um elemento paisagístico fundamental.
Alojamento: 43 quartos com 3 Tipologias: 28 duplos, 10 suites, 5 suites “premium” com jaccuzzi na varanda.
SPA inclui Piscina Interior, jacuzzi, banho turco, sala de relaxamento e massagem com duche.
Restaurante e Auditório: Um único espaço convertível consoante a função, com uma capacidade total de 250 lugares sentados.
Bar: localizado estrategicamente para prestar apoio no espaço do restaurante/auditório.
Promotores: Vila Poema – Sociedade de Gestão Hoteleira, Ldª, representada por João Carlos de Jesus Rosa.
Postos de trabalho a criar: 26
Lançamento da primeira pedra: previsto para o primeiro trimestre de 2016
Data prevista (desejável) de abertura: Maio de 2017
Exterior: Amplas áreas verdes de utilização comum, esplanada panorâmica, percursos pedestres e de BTT, piscina exterior para adultos e crianças, um parque infantil aquático, zonas de estacionamento.
Notas: Além de inserido em plena natureza, não foi esquecida a ecologia e protecção ambiental:
Gestão Eléctrica: Um terço da energia necessária será produzida por painéis fotovoltaicos e biomassa, e o aquecimento de águas por painéis solares.
Eficiência Hídrica: Serão aplicados sistemas de redução de caudais de águas dos banhos e lavatórios que serão reencaminhadas para tanques com centrais de tratamento para serem recolocadas em autoclismos e nos sistemas de rega dos espaços exteriores.
As águas das chuvas serão armazenadas, tratadas, e utilizadas em piscina e lavandaria.
Preocupação ambiental: Como educação ambiental, vai ser adquirida uma aplicação que, descarregando para um telemóvel, identifica e classifica a espécie da flora ou da fauna que está a ser fotografada. Só esta aplicação, diz-nos João Rosa, representa um investimento de 100.000 Euros. Ainda, no quarto, cada cliente pode medir o impacto da sua estadia no ambiente.
Na gastronomia, acompanhando, naturalmente, a moderna cozinha, vão ser privilegiados os produtos agrícolas locais e a fauna fluvial.
A nível de Spa, João Rosa confidencia-nos a Massagem com pedras do rio ..
OT: Qual o mercado-alvo?
Queremos aquele que respeita as tradições, o meio-ambiente, a natureza, os rios, a história, interesse por cultura, tradições, gosto pelo turismo da natureza, e uma admiração e gosto região do Médio Tejo que é uma importante marca histórica do nosso país.
OT: Qual ou quais os elemento diferenciador que mais valoriza, em relação a outros empreendimentos da natureza que já existem em Portugal? Vai fazer incidir a promoção sobre os produtos Gastronomia? Saúde e Bem-Estar? Natureza e Paisagem? Reuniões e Seminários? JR: Pretendemos que seja um conjunto de elementos que criem uma emoção no cliente, de forma a que repita a estadia. Por exemplo a sauna com pedras do rio Tejo e com a flora e a fauna que existem na região são uma experiência sensorial quando utiliza o nosso spa e visita a nossa zona.
Queremos que vir ao hotel seja uma experiência emocional para o cliente.
JR: Precisamente toda a envolvente paisagística e a preocupação ambiental manifestada na tipificação do projecto. São estas as diferenças que serão relevadas nas acções de divulgação e promoção, tentando que o hotel tenha vários nichos de mercado.
OT: Prevê desenvolver acções nos mercados tradicionais ou nos novos mercados emergentes?
JR: Nós contamos com todos, mas vamos investir nos novos mercados, tal como o Turismo Centro que é uma marca do Turismo de Portugal e, parafraseando, “o Turismo Centro é um país dentro do País”, apelando à tradições e eventos nacionais e internacionais como a Feira Internacional do Cavalo Lusitano na Golegã, a Feira dos Frutos Secos que decorreu em Torres Novas no passado fim de semana, a Festa dos Tabuleiros de 4 em 4 anos, a Rota dos Templários, enfim, divulgar o que por cá se possa e representa as nossas tradições.

Joao Rosa apresentando o projecto. Na mesa: Julia Amorim-Presidente da CMC e Vitor Pombeiro-Secretário-Geral da Comunidade de Municipios do Médio Tej. Primeira fila: Elementos da equipa técnica que elaborou o projecto